sábado, 27 de novembro de 2010

História Hindu


"A prática torna-se firmemente implantada quando bem desempenhada por longo tempo, sem interrupção e com toda austeridade." Os Sutras de Patanjali -Livro um Samadhi Pada_ Texto da Contemplação.S14

Essa é uma história Hindu, que Swami Satchidananda conta para interpretar esse Sutra.
"No Deva Loka, ou plano celeste onde vive os seres divinos, existe um grande maharishi (sábio) chamado Narada. Assim como há grandes yogis aqui, assim também o há entre os deuses. Narada viaja por toda parte e algumas vezes vem à terra para ver como estamos indo. Um dia, estava ele passando por uma floresta quando viu um aluno de yoga que já estava meditando por tanto tempo que as formigas haviam construído um grande moonte de terra em volta de seu corpo.
O Yogi olhou para Narada e disse: "Mestre Narada, onde o senhor está indo?"
"Para o céu, para casa do Deus Siva."
"Por favor, pode fazer algo por mim, lá?"
"Claro, o que posso fazer?"
"Pode indagar o Deus Siva quantas vidas mais devo meditar? Tenho permanecido sentado aqui por um tempo longo demais. Você poderia ver isso para mim?"
"Claro."
Narada caminhou então mais algumas milhas e viu outro homem, mas este estava pulando, dançando e cantando com muita alegria: "Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare; Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare!"
Quando viu Narada, disse: "Hei, Narada! Onde o senhor está indo?"
"Para o céu."
"Oh, isto é ótimo. Por favor, o senhor poderia descobrir por quanto tempo devo ficar aqui deste jeito? Quando terei a minha libertação final?"
"Claro, farei isto."
Assim, muitos anos depois, Narada passou outra vez pelo mesmo caminho e viu o primeiro homem. O Yogi reconheceu Narada.
"Narada, não tive resposta alguma de sua parte. O senhor esteve no céu? O que disse o Deus Siva?"
"Eu perguntei, mas ele disse que você ainda deverá nascer quatro vezes."
"Outros... quatro nascimentos?! Não esperei o tempo suficiente?!"
Ele começou a gritar e lamentar-se. Narada seguiu seu caminho e viu o segundo homem, ainda dançando e cantando.
"Hei, Narada, o que aconteceu? O senhor tem alguma notícia pra mim?"
"Sim."
"Bem, diga-me."
"Está vendo aquela árvore ali?"
"Claro."
"Pode contar quantos folhas existem nela?"
"Claro, tenho paciência para isto. O senhor quer que eu as conte imediatamente?"
"Não, não não. Você tem o tempo que quiser para fazê-lo."
"Mas o que isto tem a ver com a minha pergunta?"
"Bem, o Deus Siva disse que você terá que nascer tantas vezes quantas forem as folhas daquela árvore."
"Oh, tanto assim? Bem, pelo menos é um número limitado. Agora sei onde termina. Isto é ótimo. Posso terminar isto logo. Agradeço a Deus por não ter dito que seriam as folhas da floresta inteira."
Neste exato momento, uma bela charrete veio do céu e o cocheiro disse:
"Vamos, importa-se de entrar aqui? O Deus Siva mandou buscá-lo."
"Estou indo para o céu agora?"
"Sim."
"Mas agora mesmo Narada disse que primeiro eu teria de passar por muitos outros nascimentos."
"Sim, mas parece que você estava pronto e disposto a fazer isto. Então por que motivo deveria esperar?"
"E sobre o outro homem?"
"Ele não está pronto, nem mesmo pra esperar mais quatro nascimentos. Deixe-o esperar e trabalhar mais."

Isto não é uma mera história. É fácil ver a verdade que contém. Se você tiver aquela paciência e sua mente estiver mais concentrada, o que fizer será mais perfeito. Se estiver desconcentrado e ansioso por obter o resultado, ficará desorientado; nada realizado com a mente perturbada terá qualidade. Assim, não é apenas quanto tempo se pratica e sim com que paciência, com que austeridade e com que qualidade. Swami Satchidananda

Nenhum comentário: